Ativa eleva projeção do IPCA de 2021 para 5,1% puxada pela energia elétrica

Corretora crer na possibilidade de adoção da bandeira vermelha 1 em maio

A corretora Ativa Investimentos elevou a projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2021 de 4,9% para 5,1% por conta da previsão de alta na energia elétrica.

A expectativa de alta no índice oficial que mede a inflação é porque boa parte do ano de 2020 o acionamento das bandeiras foi suspenso, deixando as contas sem sobretaxa, mas onerando as distribuidoras que buscaram utilizar ao mínimo fontes mais caras.

Já em 2021, o período chuvoso (de janeiro a março), quando sazonalmente as bandeiras tarifárias ficam em patamar verde (sem sobretaxa), os consumidores ficarão com as bandeiras em nível amarelo, indicando a necessidade de utilização de térmicas, mesmo quando o regime hídrico é mais favorável.

O economista-chefe da companhia, Étore Sanchez, conta que o Brasil entra no período seco, o que traz ao risco de a bandeira tarifária para maio, a ser determinada dia 30/04, em vermelha 1, no segundo degrau de sobretaxa.

“Trata-se de uma antecipação de algo que também é sazonalmente visto. Tal antecipação se dá em decorrência de chuvas aquém do esperado, deixando os reservatórios em patamares ainda mais baixos”, explica Sanchez.

Em decorrência da crescente chance de bandeira vermelha 1 em maio, a Ativa Investimentos optou por elevar a projeção do patamar amarelo para tal mês. “Por mais que isso possa vir a não se concretizar, em decorrência do baixo nível dos reservatórios, optamos também por elevar a projeção de final de ano no mesmo sentido do mês de maio, de amarela para vermelha 1”, diz o economista.