SE/CO deve terminar abril com menos de 35% da capacidade

ONS reduziu expectativa de aumento da carga para 12,1%, ainda influenciado pelos efeitos da pandemia

O Operador Nacional do Sistema Elétrico espera que o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, o mais importante do Sistema Interligado Nacional, termine o mês de abril com 34,6% da capacidade. Entre os outros subsistemas, o Norte deve ter o melhor nível, com 82,6%, seguido por Nordeste (66,4%) e Sul (56,9%).

O armazenamento é influenciado pela afluência, que deve terminar o mês abaixo da média histórica. O SE/CO deve ter uma vazão de 63% da média de longo termo. O Norte deve ter 82% da MLT, Sul, 34% e Nordeste, 35%. Na semana operativo, que começa no sábado, 24 de abril, está prevista a ocorrência de precipitação nas bacias dos rios São Francisco, Tocantins, Xingu e Madeira, além de chuva fraca nas bacias dos rios Jacuí, Uruguai e Iguaçu.

O Custo Marginal de Operação médio ficou em R$ 162,29/MWh nas regiões SE/CO e Sul e em R$ 143,75/MWh em Nordeste e Norte. A carga leve ficou equalizada nos quatro subsistemas em R$ 143,20/MWh. Já as cargas e médias ficaram em R$ 181,45/MWh e R$ 177,29/MWh em SE/CO e Sul e em R$ 144,91 e 143,39/MWh no Norte e Nordeste.

Já a expectativa de aumento da carga foi reduzida novamente, agora para 12,1%, na comparação com abril do ano passado, que foi fortemente afetado pelas restrições impostas no combate a pandemia. No SE/CO, a alta espera está em 10,1%, no Sul em 14,9%, no Nordeste em 12,2% e no Norte em 20,3%.

A geração térmica programada ficou em 4.706 MW médios, sendo 3.416 MW médios por inflexibilidade. Outros 773 MWmed serão por ordem de mérito e 517 MWmed por restrição elétrica.