Por enquanto, Petrobras não convocará AGE para substituir conselheiro

De acordo com estatal, renúncia de Marcelo Gasparino da Silva só se efetiva em 31 de maio, o que não deixa vaga em aberto agora

A Petrobras informou nesta quarta-feira, 5 de maio, que o Conselho de Administração da estatal decidiu por maioria não convocar Assembleia Geral Extraordinária para restituição do CA, ocasionada pela saída da Marcelo Gasparino da Silva. De acordo com o comunicado à imprensa, como a renúncia de Gasparini da Silva só vale a partir de 31 de maio, ainda não há vaga em aberto.

Ainda de acordo com a Petrobras, a vacância de conselheiro eleito por voto múltiplo poderá ser preenchida por substituto eleito pelo colegiado até que seja realizada uma próxima Assembleia Geral de Acionistas, garantindo a continuidade da gestão e o funcionamento da administração. Quando a vacância for confirmada, a próxima assembleia que for realizada deverá proceder à eleição dos oito membros do Conselho eleitos por voto múltiplo.

Sobre os questionamentos acerca do processo de votação na eleição para o CA, a Petrobras reiterou o compromisso de respeitar os direitos dos acionistas minoritários, mas pretende prosseguir analisando os fatos ocorridos, mantendo contatos com a B3 e com os demais agentes envolvidos na assembleia, além da Comissão de Valores Mobiliários e empresas que passaram pela mesma situação. Segundo comunicado à imprensa, uma atuação diversa poderia gerar custos , insegurança e consequências desnecessárias, sem a garantia de que uma nova eleição aconteceria sem os mesmos questionamentos, que estão sendo avaliados.