CCEE: Consumo de energia segue em alta e sinaliza retomada da economia

Boletim aponta que país consumiu 13,4% mais eletricidade em abril na comparação com o mesmo período de 2020

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica informou através do seu boletim InfoMercado Quinzenal que o consumo de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN), encerrou o mês de abril com alta de 13,4%, alcançando assim, o volume de 63.342 megawatts médios.

De acordo com a CCEE, esse aumento tem sido influenciado principalmente pelo mercado livre de energia, no qual grandes consumidores, como indústrias, shoppings ou empresas, podem negociar contratos diretamente com geradoras ou comercializadoras. O consumo nesse segmento em abril cresceu 31,3%. Excluindo as novas cargas, que entraram nesse ambiente nos últimos 12 meses, a alta teria sido de 25,4%. Por sua vez, o mercado regulado, que inclui os consumidores residenciais e grande parte dos comércios e pequenos empresários, registrou alta de 5,9%. Se considerássemos o expurgo das cargas que saíram deste segmento nos últimos 12 meses, o crescimento teria sido de 8,4%.

(Divulgação/CCEE)

Consumo por estado
Na análise regional, segundo a CCEE, apenas o Acre e Rondônia registraram queda, de 50% e 16%, respectivamente. Os demais estados encerram abril com números positivos, com destaque para o Ceará (21%), Rio de Janeiro (21%), Santa Catarina (18%), São Paulo (18%) e Pará (17%).

(Divulgação/CCEE)

Consumo por ramos de atividade
A CCEE também monitora o consumo de eletricidade em 15 setores da economia e, mesmo excluindo as novas cargas entrantes nos últimos 12 meses, todas as áreas avaliadas tiveram alta em abril. Destaque para a produção de veículos, que consumiu 178,6% a mais em relação ao mesmo período do ano passado, seguida pelos setores Têxtil (92,8%), Bebidas (51,3%) e Manufatura (41,8%). Destaque também para Serviços (32,7%) e Comércio (7,3%).

(Divulgação/CCEE)

Geração de energia
Acompanhando o crescimento na demanda, a geração de energia elétrica também encerrou o mês de abril com alta de 13,4%, com oferta de 66.998 megawatts médios. A maior parte segue sendo fornecida pelas hidrelétricas, que são a principal fonte de energia do país e entregaram 48.367 MW médios, volume 6,1% maior que o montante de 2020. Entre as demais fontes, destaque para a geração eólica (44,4%), térmica (36,8%) e solar (9,1%).

(Divulgação/CCEE)