Creg confirma flexibilizações operativas de Jupiá e Porto Primavera

Decisão foi tomada pelo CMSE na reunião mensal de 5 de outubro

A Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética ratificou em reunião na última sexta-feira, 15 de outubro, a decisão do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico de manter as flexibilizações hidráulicas nas usinas hidrelétricas Jupiá e Porto Primavera. A deliberação do CMSE aconteceu na reunião mensal do comitê do último dia 5. Todas as decisões do comitê tem que ser homologadas pela Creg.

A decisão de reduzir o volume de água liberado por essas usinas vale para o próximo período úmido, entre novembro de 2021 e fevereiro de 2022. A flexibilização operativa a partir de março do ano que vem será avaliada em nova reunião da Creg.

O Instituto Nacional de Meteorologia fez uma apresentação na reunião da Creg mostrando aumento das chuvas nos últimos dias, especialmente na região sul, aponta para a transição para o período úmido dentro dos padrões usuais. Segundo o Inmet, a expectativa é de ocorrência de chuvas em maiores volumes nas regiões Sudeste/Centro-Oeste no curto prazo.

O Ministério de Minas e Energia ressalvou em nota divulgada na noite de sexta que mesmo com essa tendência o cenário ainda é de atenção. Nas atuais condições do solo, que está bastante seco, há uma dificuldade maior de que essas chuvas se transformem em vazões, fazendo com que a água deixe de ser absorvida e se acumule nos reservatórios.

De acordo com a instituto de meteorologia, o biênio 2020/2021 é o pior em termos de déficits de chuva, inclusive na comparação com 2000 e 2001, ano do racionamento.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico repetiu as últimas projeções para os próximos meses, indicando o atendimento da carga, mas com possibilidade de uso marginal da reserva operativa para atendimento de potência, no cenário conservador. Isso pode ocorrer em alguns momentos do mês de outubro, e em menor escala nos meses de novembro e dezembro.