Tarifa da EDP SP terá reajuste médio de 12,39%

Na alta tensão, efeito chega a 4,41%, enquanto na baixa tensão, fica em 16.,74%

A Agência Nacional de Energia Elétrica definiu em 12,39% o efeito médio do reajuste tarifário da EDP São Paulo (SP). A nova tarifa foi deliberada em reunião extraordinária nessa quinta-feira, 21 de outubro. Para os consumidores da alta tensão, o impacto fica em 4,41%; o impacto será de 16,74% para os consumidores da baixa tensão. A EDP SP atende 2 milhões de unidades, com faturamento anual de R$ 5 bilhões em 2020. O reajuste será aplicado a partir do dia 23 outubro.

De acordo com a agência, o efeito de 12,39% vem do somatório do reajuste dos itens de custos de Parcela A e B, que contribuíram para o efeito médio de 7,33%, da inclusão dos componentes financeiros apurados, levando a um impacto de 2,47% e da retirada dos componentes financeiros estabelecidos no último processo tarifário, que somaram 2,59%. A alta diferença entre as variações para os consumidores da alta e baixa tensão acontece devido a variação dos itens de custo arrecadados via tarifa de energia.

No ranking da tarifa residencial, a EDP passa a ocupar a 18ª posição, com R$ 635,92/ MWh. Antes, ela estava na 47ª posição, com R$ 546,11/ MWh.