Comércio registra maior alta do ano no consumo de energia, aponta Índice Comerc

Após altos e baixos ao longo de 2021, setor encerrou setembro com alta de 6,45% em relação ao mês anterior

Em linha com as previsões positivas para o último semestre, o setor Comércio & Varejista registra seu maior consumo de energia no ano, encerrando setembro com alta de 6,45% em relação a agosto; na comparação com o mesmo mês de 2020, a alta foi de 8,80%. É o que mostra o Índice Comerc, que desde 2015 avalia o consumo de energia de 11 principais setores da economia.

A alta indica aquecimento do setor, um dos mais afetados durante a pandemia, e coincide com o avanço da vacinação e com a flexibilização das medidas restritivas em todos os estados. De acordo com dados recém-divulgados pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Consumo (Ibevar), o varejo deverá ter alta de 0,52% no quarto trimestre de 2021 em relação ao trimestre anterior, com as categorias de vestuário, veículos, combustíveis, produtos farmacológicos e artigos de uso pessoal liderando esse crescimento.

Mesmo com os impactos econômicos da pandemia, o aquecimento da atividade industrial do último trimestre do ano já era previsto pelo Grupo Comerc, com base em uma análise detalhada do consumo de energia no mercado livre ao longo dos últimos anos. Em setembro, além de Comércio & Varejista, os setores de Manufaturados e Papel & Celulose também se destacaram no consumo de energia, com alta de 6,88% e 4,39%, respectivamente. Dos 11 setores, apenas dois apresentaram queda: Materiais de Construção (-1,71%) e Siderurgia & Metalurgia (-6,38%). Na segmentação por estados, segundo dados da CCEE, os estados de Sergipe, Ceará e Espírito Santo apresentaram os maiores crescimentos (9%), enquanto as maiores quedas foram registradas por Rio Grande do Sul (13%), Rio de Janeiro (6%) e Amazonas (4%).