Primeira revisão quadrimestral traz aumento médio de 3,4% na carga até 2026

Para 2022, expectativa revisada é de variação de 1,7% na carga

A Primeira Revisão Quadrimestral das Previsões de Carga para o Planejamento Anual da Operação Energética 2022-2026 indica que o crescimento médio da carga nesse período deve ficar em 3,4%. Para esse ano, a projeção é de aumento de 1,7%. Os dados da carga foram apresentados nesta terça-feira, 5 de abril, em documento por ONS, Aneel, EPE e CCEE.

A projeção da revisão para o período 2022-2026 é a mesma prevista no planejamento, de 3,4%. Já para esse ano, houve um recuo nos 2,7% previstos no planejamento para o 1,7% verificado na revisão da carga.

No curto prazo, a sinalização no documento é de elevada incerteza nos ambientes externo e interno. A Guerra na Ucrânia deve aumentar mais ainda a inflação, que já se apresenta alta. A indústria deve ser impactada pelo ambiente de incerteza e pelo prolongamento dos gargalos na cadeia de suprimentos e o mercado de trabalho seguirá em recuperação, apesar da alta taxa de desemprego.

Já no médio prazo, as premissas são de estabilidade no contexto macroeconômico, com maior dinamismo da demanda interna e maior confiança. A estabilidade deve estimular os investimentos nos próximos anos, com destaque para a infraestrutura, levando a um aumento da competitividade da economia. Uma das ressalvas é que há riscos importantes para a concretização desse cenário positivo, como a evolução da pandemia e surgimento de novas variantes do vírus, a evolução da guerra na Ucrânia, as questões fiscais, a inflação e as incertezas políticas.

Na próxima quarta-feira, 6 de abril, às 10 horas será realizado um workshop para explicar os resultados da revisão. Para acessar clique aqui.