No último domingo, 16 de julho, por volta das 16:24 horas, 62 mil consumidores ficaram sem energia elétrica em Porto Alegre, devido a uma falha em uma subestação da CPFL Energia, responsável pela transmissão da energia elétrica na região. Segundo a CEEE Equatorial, o impasse interrompeu o fornecimento para o sistema elétrico, afetando os bairros Humaitá, São João, Navegantes, São Geraldo, Floresta, Centro, Montserrat, Moinhos e Petrópolis.

Em nota, a CPFL Transmissão informou que um defeito em equipamento da SE Porto Alegre 9 provocou interrupção nas redes da distribuidora gaúcha, e que, enquanto técnicos da empresa faziam os reparos, a energia foi restabelecida através de manobras na unidade. As cargas foram sendo restabelecidas gradativamente entre às 17h04min e às 17h33min, quando todo o sistema foi normalizado. A causa do incidente ainda está sendo investigada.

Ciclone

Enquanto isso, mais de 500 equipes técnicas da CEEE Equatorial estão operando nos 72 municípios da área de concessão visando normalizar o fornecimento de energia para 2% ainda dos clientes prejudicados pelos efeitos do ciclone extratropical. Até a manhã desta segunda-feira, 17 de julho, 22 mil unidades ainda seguem sem luz. O pico da interrupção aconteceu às 11h de quinta-feira (13), quando 715 mil pontos se encontravam desenergizados.

A empresa reiterou que, por se tratar de um fenômeno climático de grandes proporções, os prazos para a solução das ocorrências dependem da complexidade de cada caso. Entre as dificuldades adicionais estão os acessos em decorrência de impossibilidade de trânsito, necessidade de isolamento de área afetada, retirada de objetos de grande porte que atingiram a rede, como árvores, e reconstrução de postes avariados e de toda a rede elétrica danificada.

No Paraná, com o reforço de equipes que vieram do interior, cerca 650 profissionais trabalharam ao longo do final de semana na Região Metropolitana de Curitiba e no Litoral para restabelecer o fornecimento dos consumidores afetados, restando no momento cerca de mil pontos sem energia na região. Os municípios mais afetados no momento são Adrianópolis, Guaratuba e Morretes.

Já a Celesc informa ter normalizado o suprimento para toda sua concessão, com o trabalho tendo envolvido mais de 450 equipes em campo e 1200 eletricistas. Em sete horas, a companhia afirma ter feito o restabelecimento para mais de 260 mil UCs. No momento mais crítico, Santa Catarina registrou um pico de cerca de 335 mil pontos sem eletricidade.