Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

Produzir alimentos e energia elétrica em um mesmo local poderá ser uma realidade em algumas regiões de Minas Gerais. É o que pretendo o primeiro projeto agrivoltaico que está sendo desenvolvido no estado, fruto de uma parceria entre a Cemig, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e o CPQD. A iniciativa foi aprovada em edital de chamada pública da estatal, que seleciona projetos por meio do programa de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) regulado pela Aneel. O investimento total é de cerca de R$ 10,5 milhões e as pesquisas serão desenvolvidas ao longo de 30 meses.

A proposta visa buscar soluções para as dificuldades já identificadas na integração de duas atividades tidas como pontos fortes da economia mineira: agricultura e geração de energia solar. O método de pesquisa contará com três instalações agrivoltaicas, que vão permitir realizar análises comparativas entre elas. O objetivo é determinar quais serão as combinações de modelos de módulos e as melhores culturas para aumentar a produtividade global das atividades.

A pesquisadora da Epamig, Polyanna Oliveira, explicou à Agência CanalEnergia que o sistema permitirá o cultivo sob os painéis montados acima do solo, em uma altura que permita o trânsito de tratores e implementos mais utilizados nas operações agrícolas. Serão utilizados sensores variados para monitorar o comportamento do solo, como temperatura e umidade, da eficiência dos painéis solares, dentre outros parâmetros como uso da água, índice de ocupação do terreno e a integração de diferentes culturas agrícolas.

Painéis ficarão em altura que permita trânsito de tratores e implementos mais utilizados na agricultura

“Haverá um estudo para definição das culturas a serem avaliadas no sistema, com potencial já identificado para exploração de fruteiras, grãos, hortaliças, pastagens, entre outras”, ressalta, afirmando que nessa fase inicial estão sendo instaladas unidades pilotos nos campos experimentais da Epamig para testar produções variadas em diversos arranjos. Atualmente as atividades são realizadas de forma separada. Onde são instaladas UFVs não se tem agropecuária e vice-versa.

A implantação destes pilotos vai permitir a utilização, em uma mesma área, para produção conjunta fotovoltaica em associação com atividades agrícolas (Agrivoltaico) e de pecuária (Rangevoltaico). A iniciativa será conduzida nos campos experimentais da Epamig em Mocambinho (CEMO) e de Santa Rita (CESR), localizados, respectivamente, nos municípios de Jaíba e Prudente de Morais, regiões Norte e Centro-Oeste do estado.

Além dos desafios técnicos envolvendo áreas multidisciplinares, o CPQD destaca o lado social, envolvendo tecnologias para facilitar a vida dos pequenos produtores rurais e o desenvolvimento de potenciais fornecedores da indústria nacional. “Faremos uma avaliação completa do sistema agrivoltaico customizado para o estado de Minas Gerais, envolvendo aspectos técnicos, regulatórios, econômico-financeiros, sob as perspectivas do produtor rural, distribuidora de energia e provedor da solução do sistema integrado”, explicou o gerente comercial centro, Carlos Alberto Previdelli.