Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

Em missão à China, a Petrobras firmou quatro acordos de cooperação no setor energético, de caráter não vinculante e alinhados aos elementos estratégicos do Plano Estratégico 2024-28, que visam preparar a companhia para um futuro mais sustentável com o sucesso da transição energética. Entre eles dois Memorandos de Entendimento com a China National Offshore Oil Corporation (CNOOC) e China Petrochemical Corporation (SINOPEC), visando explorar o potencial em segmentos de interesses mútuos, tais como exploração e produção de petróleo e gás, refino, indústria petroquímica, comercialização de energia, captura de carbono, dentre outros.

O terceiro contrato é de colaboração estratégica com a China Energy International Group Co., Ltd., com a finalidade identificar potenciais oportunidades de negócio no Brasil relacionadas a geração de energia renovável e produção de hidrogênio e amônia sustentáveis. Por fim, foi fechado um Non-Disclosure Agreement com a Citic Construction Co. Ltd. (CITIC), para discussões sobre possíveis oportunidades de negócios e projetos conjuntos, inclusive a formação de joint-ventures para investimentos nacionais e no exterior.

No intuito de acompanhar o progresso dos estudos e discussões, a Petrobras informou que serão formados comitês de representantes de cada empresa. Somente após a conclusão das análises técnicas necessárias, potenciais projetos advindos dos acordos assinados terão estimativas oficiais de custo, prazo e retorno, a fim de que sejam futuramente apreciados pelas instâncias de aprovação interna, de acordo com as regras da governança corporativa.