Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A carga de energia do Sistema Interligado Nacional verificada em agosto de 2023 foi de 72.734 MW med, um crescimento de 3,1% ante o mesmo período de 2022. Os resultados estão no Boletim de Carga Mensal do Operador Nacional do Sistema Elétrico. No acumulado do último ano no SIN registrou expansão de 2%, se comparado com agosto do ano passado. As informações consideram os dados da Micro e Mini Geração Distribuída, que foram incorporados a partir do relatório de maio.

A análise por subsistema indica que todos apresentaram crescimento na carga. O patamar mais expressivo foi o da região Norte, com 10,7% e 7.508 MW med, seguido pelo Sudeste/Centro-Oeste, com 3% e 41.145 MW med. O submercado Nordeste avançou 1,8%, com 11.806 MW med e o Sul cresceu 0,7%, com 12.275 MW med. Os dados também consideram o período de agosto de 2023 ante o mesmo mês do ano anterior.

No acumulado dos últimos 12 meses, todas as regiões registraram padrão de expansão: Norte (11,9%), Nordeste (2,5%), Sul (1,1%) e Sudeste/Centro-Oeste (0,6%).

De acordo com o ONS, os resultados da carga são impactados por diferentes fatores. Em agosto, por conta das temperaturas elevadas, acima da média do período, e dos baixos totais de precipitação, houve maior utilização de aparelhos de refrigeração, houve reflexo no indicador. Além disso, os fatores econômicos também têm influência sobre a dinâmica da carga.