S&P Global reafirma ratings da Taesa

Risco de default do Brasil deixa perspectiva em negativa

A S&P Global reafirmou os ratings da transmissora de energia Taesa após a companhia apresentar métricas de crédito alinhas às expectativas da agência de classificação de risco. Dessa forma, ficam mantidos os ratings ‘BB’ na escala global e ‘brAA-/brA-1’ na escala nacional Brasil, incluindo o rating ‘brAA-’ de sua dívida senior unsecured. Contudo, a perspectiva do rating de emissor permanece negativa, pois reflete àquela atribuída ao rating soberano do Brasil, para o qual o rating da Taesa é limitado.
 
"O rating em moeda estrangeira do Brasil limita os ratings da Taesa. Isso reflete nossa visão de uma probabilidade apreciável de que as concessionárias de serviços de utilidade pública acompanhariam o soberano em um cenário de default porque acreditamos que o status regulado delas as expõe a potencial deterioração na qualidade de crédito do soberano (ou seja, possíveis controles tarifários e, mediante esse cenário, a arrecadação de receitas e a disponibilidade de crédito sofreriam)", avaliou a S&P Global Rating em relatório publicado na última sexta-feira, 20 de maio.