Distribuidoras da CPFL devem ser agrupadas a partir de janeiro de 2018

Operação envolve a junção das áreas de concessão de cinco empresas menores, que atendem o interior de São Paulo, Minas Gerais e Paraná

A CPFL Energia vai agrupar as áreas de concessão das distribuidoras CPFL Jaguari, CPFL Mococa, CPFL Leste Paulista, CPFL Sul Paulista e CPFL Santa Cruz, que atendem consumidores no interior de São Paulo, Minas Gerais e Paraná. As cinco companhias formarão uma única empresa, após serem incorporadas à Jaguari, mas a razão social da concessionária resultante da operação será alterada para CPFL Santa Cruz S.A..

A autorização foi solicitada à Agência Nacional de Energia Elétrica em julho do ano passado e deverá ser aprovada até o início de novembro. A proposta da CPFL Energia é de que o agrupamento das concessões seja feito a partir de 1º de janeiro de  2018.

As tarifas atuais das cinco distribuidoras continuarão a ser aplicadas até o próximo reajuste tarifário, previsto para 22 de março do ano que vem, quando será definida tarifa única para a concessão. Em dezembro de 2015, elas tiveram seus contratos de concessão prorrogados até julho de 2045, e a próxima revisão tarifária está prevista para 2021.

A empresa pediu prazo de 180 dias, a partir da data do agrupamento, para concluir a unificação dos contratos de energia.  A expectativa é de que a junção das áreas de concessão contribua para a redução de custos comerciais, regulatórios, de logística, contábeis e técnicos; permita uma melhor gestão da compra de energia e da contratação dos Montantes de Uso dos Sistemas de Transmissão  nos pontos de fronteira da Rede Básica; e resulte em  economia com deslocamento de equipes.

O pedido da CPFL ficará em audiência pública de 11 a 20 de outubro. O prazo mínimo de dez dias foi adotado pela agência para que a autorização seja aprovada antes do término do prazo de apresentação das declarações de necessidade de compra dos leilões de energia nova, previstos para dezembro. A data para a declaração é 10 de novembro.