Petrobras lidera lista dos maiores tomadores de recurso do BNDES

Lista inclui empresas como Norte Energia, ESBR, Santo Antonio Energia e Xingu Transmissora, da State Grid

A Petrobras é a líder no ranking dos 50 maiores tomadores de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, com R$ 62,429 bilhões, segundo dados divulgados pela instituição.  O BNDES lançou nesta sexta-feira, 18 de janeiro, uma nova ferramenta de consulta que, além de divulgar a relação dos maiores devedores nos últimos 15 anos, consolida informações sobre contratos de exportações brasileiras de engenharia para obras no exterior, além de dados de outros empréstimos e de participações do banco em empresas e fundos.

Muitos desses dados já estavam disponíveis, mas agora estarão reunidos em uma plataforma desenhada para facilitar a consulta às informações sobre os contratos do banco. A divulgação é o que o governo chama de “abrir a caixa preta” do BNDES.

Dos mais de R$ 60 bilhões em recursos absorvidos pela Petrobras, R$ 37,675 bilhões são relativos a financiamentos e R$ 24,753 bilhões ao valor integralizado pelo banco como participação acionária na estatal, em oferta pública de 2010, com o objetivo de apoiar o plano de investimentos da companhia, especialmente na exploração do petróleo do pré-sal. O ranking não inclui operações com o Cartão BNDES, pessoas físicas e debêntures simples.

Outro destaque da lista dos maiores tomadores de recurso do banco é a Norte Energia, que aparece em terceiro lugar, depois da Embraer, com R$ 25,388 bilhões em financiamentos. Esse valor diz respeito à contratação de empréstimos destinados à construção da usina hidrelétrica Belo Monte (11.233MW- PA)  entre 2002 e 2018.

A Energia Sustentável do Brasil, concessionária da UHE Jirau (3.750MW-RO), está em 13º lugar, com R$ 9,420 bilhões em financiamento para a implantação da usina. A Santo Antônio Energia, concessionária da UHE Santo Antônio (3.150 MW- RO), figura na 17ª posição, com R$ 8,125 bilhões para o empreendimento.

A Eletronuclear está no meio da tabela, em 26º, com R$ 6,181 bilhões em financiamento para a implantação da usina Angra 3 (1.405 MW- RJ) e do sistema de transmissão associado ao empreendimento, que está com as obras paralisadas desde 2015.

Outra empresa listada é a Xingu Rio Transmissora de Energia, que aparece em 34º lugar, com R$ 5,214 bilhões. A empresa  do grupo chinês State Grid  é responsável pela implantação do segundo circuito de sistema de transmissão que vai  escoar energia da UHE Belo Monte para a Região Sudeste.

No site do BNDES também estão disponíveis informações sobre contratos de financiamento de exportações de engenharia brasileira para obras no exterior. Esse tipo de operação de crédito, segundo a instituição, é realizado desde 1998 e envolve a liberação de recursos em reais para empresas brasileiras. A responsabilidade pelo pagamento em dólar ou euro é do país ou da empresa importadora do serviço. Há operações desse tipo com Angola, Argentina, Costa Rica, Cuba, Equador, Gana, Guatemala, Honduras, México, Moçambique, Paraguai, Peru, República Dominicana e Venezuela. Entre aqui para acesso aos dados.