Inadimplência em maio chega a 5,69%, segundo MME

Boletim de acompanhamento da Covid revela que impacto da pandemia desde 18 de março é R$ 6,6 bilhões

A inadimplência de consumidores nos últimos 30 dias chegou a 5,69% e teve impacto financeiro de R$ 637 milhões para as distribuidoras, segundo dados do último Boletim de Monitoramento da COVID-19, divulgado pelo Ministério de Minas e Energia nesta segunda-feira, 1º de junho. O impacto total da pandemia no período é estimado em R$3,111 bilhões. Desde 18 de março, a inadimplência alcançou 10,47% e o custo da Covid ficou em R$ 6,652 bilhões, metade disso em razão das contas em atraso.

A carga média do Sistema Interligado caiu 3,08%(1.549 MW médios) no último domingo,31, na comparação com o domingo anterior, 24 de maio. Já a energia armazenada nos reservatórios manteve-se estável em todas as regiões e não houve necessidade de importação ou de geração térmica adicional na última semana.

O MME informou que dos servidores afetados pelo coronavírus no ministério, em instituições do setor e em empresas vinculadas, 842 estão curados. Dos 12 óbitos registrados, cinco são de funcionários da Eletrobras e um do ministério. A estatal tem 122 colaboradores infectados em quarentena e 76 recuperados, em um universo de 10.872 empregados.

Na Agência Nacional de Energia Elétrica há um caso confirmado e em quarentena e dois recuperados; no Operador Nacional do Sistema Elétrico dois positivos em quarentena e 15 recuperados; na Empresa de Pesquisa Energética um confirmado e dois recuperados e na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica dois confirmados e 51 recuperados.