Copel apresenta novo projeto básico para hidrelétrica Salto Grande

Eixo da barragem será deslocado seis quilômetros rio acima em relação ao plano original, reduzindo de 9,41 km² para 7,14 km² a área do reservatório e evitando o alagamento de uma região ocupada por pequenos agricultores

Após sete meses de trabalho de sua área de engenharia, a elétrica Copel anunciou a conclusão do novo projeto básico da hidrelétrica Salto Grande (49 MW), prevista para o rio Chopim, entre os municípios de Coronel Vivida e Pato Branco, sudoeste paranaense. A nova configuração desloca o eixo da barragem seis quilômetros rio acima em relação ao escopo original, mudança que irá permitir que a área do reservatório seja reduzida de 9,41 km² para 7,14 km², evitando o alagamento de uma região ocupada por pequenos agricultores sem que haja perda do potencial de geração de energia.

As atividades foram coordenadas pela Diretoria de Desenvolvimento de Negócios da estatal, que confiou a missão de revisar o projeto aos profissionais da Superintendência de Engenharia de Obras (SOE) da Copel Geração e Transmissão.  Geralmente, os projetos básicos de engenharia já chegam prontos ou são contratados, cabendo à companhia acompanhar a elaboração do material.

A remodelação do projeto básico foi executada por meio da colaboração de profissionais de diversas áreas. O plano original da usina pertencia à Foz do Chopim Energética e foi adquirido pela Copel em maio de 2019. A partir de então, a empresa ficou responsável por atualizar os estudos ambientais, sociais e de engenharia do empreendimento, bem como solicitar a licença ambiental prévia ao Instituto Água e Terra (IAT).

Próximas etapas – Quando a licença prévia for emitida, a companhia poderá participar de um leilão para venda da energia a ser produzida pela UHE, partindo para implantação caso obtenha sucesso no certame. O detalhamento e o respectivo sumário executivo seguem agora para a Aneel, com o objetivo de obter o Despacho do Registro da Adequabilidade do Sumário Executivo – documento necessário para que a Agência solicite a Declaração de Reserva de Disponibilidade Hídrica para o Empreendimento que é exigida no processo de licenciamento ambiental prévio junto ao IAT.

Esta semana foi iniciado o processo de consulta ao mercado para obter propostas de fornecimento de bens e serviços para construção da usina e do sistema de transmissão associado. Em paralelo, seguem as atividades de elaboração de especificação técnica para solicitação de propostas de fornecedores para execução dos serviços de licenciamento ambiental do empreendimento.

Estão em andamento também análises de risco, técnicas e regulatórias para o aumento da precisão da modelagem econômico-financeira para aumentar a competitividade do empreendimento no próximo leilão de energia nova A-6, a ser organizado pela Aneel –  sem data definida ainda.

Em breve, será iniciada a elaboração dos estudos exigidos pelo Ibama para emissão da anuência para futura retirada de vegetação na área do empreendimento, além da sondagem geológica e dos serviços de atualização cadastral das áreas que serão desapropriadas para formação do reservatório.