Eneva obtém enquadramento ao Reidi para produção de gás no Amazonas

Prospecção do insumo no Campo de Azulão integra o projeto da termelétrica UTE Jaguatirica II, com medida conferindo desconto de R$ 7 milhões sem a incidência dos encargos PIS/PASEP e Confins

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, enquadrou o projeto de produção de gás natural do Campo de Azulão (AM) junto ao Regime Especial para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi). A decisão, publicada no Diário Oficial da União (DOU) dessa segunda-feira, 29 de junho, por meio da Portaria nº 257, envolve a implementação de estruturas como poços, linhas e equipamentos auxiliares e pela Unidade de Tratamento de Gás Natural de Azulão (UTG – Azulão), tudo para conferir o combustível para a termelétrica Jaguatirica II, que irá operar com duas unidades geradoras, uma de 82,4 MW e outra de 43,8 MW, num total de 126,2 MW de capacidade instalada em Boa Vista (RR).

O Reidi prevê a isenção de PIS/PASEP e Confins na aquisição de bens e serviços para empreendimentos de infraestrutura. No caso, a desobrigação com os encargos representa uma economia de R$ 7 milhões à Eneva, dona do ativo, ficando o investimento total em aproximadamente R$ 142,9 milhões. O projeto tem previsão para ser concluído em dezembro desse ano e acontece nos municípios de Itapiranga e Silves.