Programa Copel Volt busca startups para inovação aberta

O objetivo é atrair startups com soluções já em operação no mercado nacional e internacional e financiar até 5 provas de conceito

A Copel está lançando nesta segunda-feira, 23 de agosto, o programa de inovação aberta Copel Volt. Voltado a startups nacionais e internacionais, o programa contará com investimentos de R$ 1,5 milhão para financiar provas de conceito e gerar soluções voltadas ao mercado de energia, que podem resultar em novos negócios tanto para a companhia como para as startups contempladas.

As inscrições, que vão de 23 de agosto a 4 de outubro, podem ser feitas pelo site da Copel. Haverá uma análise e seleção preliminar, e as startups escolhidas irão para a etapa do pitch-day, quando poderão demonstrar à Copel as soluções propostas. O anúncio dessa seletiva acontece em 27 de outubro. Para acompanhar todas as fases do processo, acesse www.copelvolt.com

Segundo a Copel, a iniciativa vem para alavancar novos produtos e serviços na área de energia e fortalecer o posicionamento da companhia junto ao ecossistema da inovação. O programa iniciou com uma chamada pública, no final do ano passado, resultando na contratação de uma assessoria especializada em implantação de programas de inovação aberta em grandes empresas, a Beta-i. Desde então, a assessoria se debruçou em avaliar e desenhar para o mercado os desafios propostos pela Copel às startups.

Ainda de acordo com a empresa, o objetivo é atrair startups com soluções já em operação no mercado nacional e internacional e financiar até 5 provas de conceito, a partir da seleção dos melhores projetos. Vale lembrar que não será limitada a área de atuação das startups inscritas, uma vez que os desafios englobam temáticas que vão além do segmento de energia.

Os desafios do programa Copel Volt seguem as seguintes temáticas:

• Relacionamento com o cliente, focado em soluções digitais.
• Energia e além da energia, voltado à diversificação de fontes de receita.
• Novos modelos de negócios.
• Processos internos inovadores.
• Energia limpa e novas matrizes energéticas.
• Eletromobilidade.
• Gestão de ativos e instalações.
• Armazenamento de energia.