Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica vai realizar consulta pública para discutir uma proposta de Revisão Tarifária Extraordinária da Equatorial Amapá que pode aumentar as tarifas no estado em 44,41% em média. O impacto médio previsto é de 43,71% na baixa tensão, com os consumidores residenciais pagando 43,90% mais caro; e de 46,70% na alta tensão. Trata-se do maior aumento já proposto esse ano.

Os índices são preliminares, pois o resultado definitivo só vai vigorar a partir de 13 de dezembro, após o encerramento e a consolidação das contribuições da consulta. Se forem mantidos,  terão efeito importante sobre a conta de energia elétrica das mais de 211 mil unidades consumidoras atendidas pela distribuidora nos 16 municípios do Amapá.

Segundo a Aneel, o resultado reflete o crescimento dos encargos setoriais, em consequência do pagamento do empréstimo da conta escassez hídrica; os custos do serviço de distribuição; os investimentos realizados na empresa desde 2017, antes da privatização; e da retirada de componentes financeiros do processo tarifário anterior, que reduziram os efeitos do reajuste aprovado no ano passado.

A antiga Companhia Energética do Amapá foi a última distribuidora da Região Norte a ser privatizada. O leilão aconteceu em 25 de junho de 2021 na B3, em São Paulo, quando a concessão foi arrematada pela Equatorial em lance único, com compromisso de aporte inicial de R$ 400 milhões.

As contribuições à consulta serão recebidas de 13 de setembro a 27 de outubro, pelos e-mails cp035_2023rv@aneel.gov.br e cp035_2023et@aneel.gov.br. Está prevista ainda reunião pública na capital Macapá, em data a ser definida pela agência.