Geração de energia da Petrobras recua em 2019, mas entrega de gás nacional sobe

Melhora na hidrologia e aumento da produção do gás do pré-sal na Bacia de Santos justificam resultados

A geração de energia elétrica da Petrobras em 2019 ficou em 2.028 MW med, número 8% abaixo do registrado em 2018. De acordo com a empresa, a queda na produção veio em decorrência de uma melhora no cenário hidrológico. Segundo a Petrobras, a redução na demanda acabou se refletindo nas vendas de gás natural. Apesar do recuo, a estatal destaca o aumento da entrega de gás nacional, que passou de 49 milhões m³/dia para 51 milhões m³/dia, principalmente devido à maior produção do pré-sal na Bacia de Santos e o aumento da participação de GNL na oferta total devido aos menores preços do insumo  no mercado internacional.

No quarto trimestre de 2019, a geração de energia elétrica foi de 2.539 MW med, um aumento de 15,9% em relação ao terceiro trimestre. A alta ocorreu devido à maior geração de energia fora da ordem de mérito em razão do menor custo médio de compra de gás natural, frente a uma melhor remuneração pelo PLD decorrente da piora do cenário hidrológico em relação ao trimestre anterior. As vendas foram impulsionadas pelo maior despacho térmico e chegaram a 80 milhões m³/dia no quarto trimestre de 2019, representando um crescimento de 2,7% em relação ao terceiro.

Com a manutenção do volume de entrega de gás nacional, houve alteração do perfil de importação de gás natural, com aumento da participação de gás boliviano em detrimento do GNL.

As vendas no Ambiente de Contratação Regulado  ficaram em 2.788 MW med em 2019. Já as vendas de energia no Mercado Livre e para consumo interno somaram 1.233 MW med, recuando 5,2% em relação ao apurado no ano anterior.