Enel teve lucro de 2,17 bilhões de euros em 2019

Descarbonização significou redução de 4,1 GW na capacidade de carvão e aumento de 3 GW nas renováveis

A italiana Enel terminou o ano de 2019 com lucro de 2,17  bilhões de euros. A empresa divulgou seus resultados financeiros e o valor registrado é 54,6% menor que o de 2018, de 4,78 bilhões de euros.  Já o lucro ordinário da Enel ficou em 4,78 bilhões, valor 17% maior que o de 2018. De acordo com a empresa, o lucro reflete essencialmente o impairment reconhecido em várias usinas a carvão.

O Ebitda da Enel cresceu 8,3%, chegando a 17,7 bilhões de euros. Houve crescimento nas receitas da italiana, que no Brasil atua na distribuição, transmissão e na geração de energia, sendo um dos maiores players do setor no país. Os 80,3 bilhões de euros  representaram um aumento de 6,3% na comparação com os 75,5 bilhões de euro de 2018.

A descarbonização teve papel ativo nos resultados da empresa. O capex total gasto em 2019 foi de quase 10 bilhões de euros, 17% a mais que no ano passado, dos quais mais de 50% foram para  descarbonização, em especial o aumento nas fontes renováveis. A descarbonização também aparece quando pela primeira vez na história da empresa, a produção de renováveis superou a da geração térmica. Cerca de 57% da produção do grupo é livre de emissões, ante 51% em 2018. A capacidade de carvão foi reduzida em 4,1 GW, enquanto a capacidade de renováveis cresceu em 3 GW.

Com relação às possíveis consequências da pandemia de Coronavírus, o Grupo implantou uma série de medidas preventivas para garantir a operação total e a continuidade do serviço prestado em todas as regiões em que está presente. Em um primeiro momento, não se espera um impacto significativo nos resultados financeiros de 2020.