Produção de petróleo e gás caem em setembro, afirma ANP

Parada parcial da plataforma P-69 e total do FPSO Cidade de São Paulo são os principais motivos para as quedas

A produção nacional de petróleo e gás em setembro atingiu 3,695 milhões de barris equivalente por dia (MMboe/d), sendo 2,907 MMbbl/d de óleo, redução de 5,8% em relação ao mês anterior e 0,7% frente a setembro de 2019, e 125 MMm3/d de gás natural, queda de 6,2% em relação a agosto e de 2,8% na comparação anual. As informações são do Boletim Mensal da ANP, publicado nessa quinta-feira, 5 de novembro.

De acordo com o levantamento, os principais motivos para a queda foram a parada parcial da plataforma P-69 no campo de Tupi e total do FPSO Cidade de São Paulo do campo de Sapinhoá.  Outros 32 campos permaneceram com suas respectivas produções temporariamente interrompidas devido aos efeitos da pandemia, sendo 16 marítimos e 16 terrestres, e um total de 60 instalações marítimas permanecendo com produção interrompida. Em agosto foram 33 campos e 60 instalações.

A produção no pré-sal chegou a 2,586 MMboe/d em setembro, sendo 2,054 MMbbl/d de óleo e 84,605 MMm3/d de gás. No total, houve redução de 6,8% em relação ao mês anterior e aumento de 13% em relação a setembro de 2019, com a produção tendo origem em 117 poços e correspondendo a 70% da prospecção nacional.

Já o aproveitamento de gás natural foi de 97,5%, com 52,9 MMm³/dia disponibilizados ao mercado. A queima do insumo no mês chegou a 3,4 MMm³/d, redução de 13% quando comparada ao mês anterior e aumento de 6,1% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Outros destaques – Os campos marítimos produziram 96,8% do petróleo e 85,7% do gás natural, com aqueles operados pela Petrobras ficando responsáveis por 94,1% do óleo e do gás natural produzidos no país. Já os campos com participação exclusiva da petroleira representaram 43% do total.

O campo de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior produtor, registrando 953 MMbbl/d de petróleo e 42,7 MMm3/d de gás. Por sua vez a plataforma Petrobras 75, no campo de Búzios, produziu 162,457 Mbbl/d, sendo instalação com maior produção de petróleo.

Por sua vez a instalação FPSO Cidade de Itaguaí, produzindo no campo de Tupi, por meio de sete poços a ela interligados, produziu 7,342 MMm³/d e foi a instalação com maior produção de gás natural.