ONS descarta racionamento de energia em 2021

Reservatórios hidrelétricos tiveram pior trimestre nos últimos 91 anos e iniciam período seco com média de 45% de armazenamento junto ao SIN

O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Carlos Ciocchi, descartou a possibilidade de haver algum tipo de racionamento de energia no Brasil neste ano, mesmo diante da situação “delicada” dos reservatórios hidroelétricos, que nesse último trimestre passaram por um dos períodos hidrológicos mais críticos nos últimos 91 anos, com o armazenamento no SIN encerrando o mês de março com média de 45%.

“Temos a convicção de que estamos pilotando o sistema de forma bastante segura e compatível com a necessidade da sociedade brasileira”, disse Ciocchi nesta segunda-feira, 26 de abril, durante o evento Agenda Setorial, organizado pelo Grupo CanalEnergia/Informa Markets, observando que a matriz elétrica brasileira é bastante diversificada e que o maior acionamento do parque termelétrico vem assegurando o abastecimento do país.

Segundo ele, o Operador está trabalhando junto a secretaria de Óleo e Gás do Ministério de Minas e Energia para garantir o suprimento de gás natural a preços melhores para os despachos das UTEs. “Tomamos essa medida por saber que o mercado internacional de gás natural é volátil e para não pesar tanto na conta do consumidor final”, ressalta.

Ademais, o diretor-geral do ONS destacou as discussões semanais com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) sobre o uso múltiplo dos recursos hídricos, avaliando se algumas restrições possam ser flexibilizadas momentaneamente para garantia da energia. “Temos a plena consciência dos usos da água mas sabemos que chega em um determinado momento em que temos de tomar determinadas decisões”, finaliza Ciocchi.