Eneva define construtora da usina de liquefação do Campo do Azulão

Companhia firmou contrato de 14 meses com a Método Potencial Engenharia para implementação da planta que abastecerá a termelétrica Jaguatirica II (RR) com gás natural

A Eneva selecionou a empresa Método Potencial Engenharia para atuar nas obras de construção da unidade de liquefação de gás natural do Campo de Azulão, localizado entre os municípios de Silves e Itapiranga, no Amazonas. O projeto está em fase de mobilização e tem prazo de conclusão previsto para o primeiro trimestre de 2021. “Enfrentaremos situações desafiadoras neste projeto. Além das questões técnicas, a região amazônica impõe dificuldades logísticas, com condições meteorológicas adversas”, afirma Joel Peito, Diretor Executivo da Unidade de Negócios de Construção e Montagens Industriais da Método.

O executivo destaca que esse novo contrato é fruto do trabalho desenvolvido pela companhia no segmento de Óleo e Gás, e marca a estratégia de ampliar sua presença no mercado privado. “A conquista do projeto com a Eneva confirma a nossa expertise no setor, e contribui para a consolidação da posição da Método, que já atua ao longo de toda a cadeia de valor do gás natural, desde a extração, transporte e processamento, até a distribuição”, afirma.

A produção do gás liquefeito será transportada por carretas, por cerca de 1.100 km para Boa Vista (RR), onde será instalada a usina termoelétrica (UTE) Jaguatirica II. Com 132 MW de potência, a UTE, que também pertence à Eneva, é estratégica para a região, pois fornecerá energia para o estado.