Olá, esse é um conteúdo exclusivo destinado aos nossos assinantes
Para continuar tendo acesso a todos os nossos conteúdos, escolha um dos nossos planos e assine!
Redação
de R$ 47,60
R$
21
,90
Mensais
Notícias abertas CanalEnergia
Newsletter Volts
Notícias fechadas CanalEnergia
Podcast CanalEnergia
Reportagens especiais
Artigos de especialistas
+ Acesso a 5 conteúdos exclusivos do plano PROFISSIONAL por mês
Profissional
R$
82
,70
Mensais
Acesso ILIMITADO a todo conteúdo do CANALENERGIA
Jornalismo, serviço e monitoramento de informações para profissionais exigentes!

O Brasil bateu recordes na produção total e de forma segmentada de petróleo e gás natural em julho, assim como na prospecção envolvendo a camada do pré-sal. O último boletim mensal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informa um total de 4,482 milhões de barris de óleo equivalente por dia (MMboe/d), superando o recorde de junho de 2023, de 4,324 milhões de MMboe/d.

A produção de gás atingiu 154,076 milhões de metros cúbicos por dia (MMm³/d), acréscimo de 1,2 % em relação a junho de 2023 e de 13,6% na comparação com julho de 2022. O maior volume na história superou o de junho de 2023, quando chegou a 152,258 milhões de MMm³/d.

No pré-sal o volume totalizou 3,359 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), correspondendo a 74,9% da produção nacional, ultrapassando a de fevereiro de 2023, quando foram extraídos 3,268 milhões de barris de boe/d. Houve aumento de 3,5% em relação ao mês anterior e de 16,6% na comparação com o mesmo mês de 2022. A produção de gás atingiu 114,8 milhões de m³/d por meio de 142 poços.

Outros destaques

Já o aproveitamento do insumo contabilizou 97,2%, sendo disponibilizados ao mercado 55,41 milhões de m³/d e a queima chegando a 4,27 milhões de m³/d, redução de 6,7% em relação ao mês anterior e de 5,0% na comparação anual. Os campos marítimos prospectaram 85,8% do combustível, e os operados pela Petrobras, ou em consórcio com outras empresas, foram responsáveis por 88,47% do total. A origem é de 6.424 poços, sendo 515 marítimos e 5.909 terrestres.

Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior campo produtor de petróleo e gás, registrando 865,71 mil bbl/d e 41,63 milhões de m³/d respectivamente. A instalação com maior resultado foi a FPSO Guanabara, na jazida compartilhada de Mero, com 176,186 mil bbl/d de petróleo e 11,25 milhões de m³/d de gás.