A carga de energia no Sistema Interligado Nacional deve ter uma variação de 7,1% em maio, de acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico. O subsistema Sudeste/ Centro-Oeste terá uma variação do sistema, de 8%. A região Sul vem em seguida, com aumento na carga de 6,6%. No Nordeste, a previsão é de uma subida de 5,9%, enquanto o Norte terá a menor expectativa de carga, com aumento de 5%.

O armazenamento dos reservatórios do sistema deve ficar acima dos 70% em todas os subsistemas. A região Sul, que enfrenta fortes chuvas, tem estimativa de níveis de 91,6% ao fim do mês. No Sudeste/ Centro-Oeste, a expectativa é que operem terminem maio com 73,4% da capacidade. Os níveis do Nordeste devem ficar um pouco acima, com 74,3%. A região Norte tem a melhor previsão de armazenamento, com 97,7% da sua capacidade.

A previsão mensal de Energia Natural Afluente para o Sudeste/ Centro-Oeste é de 26.044 MW med, equivalente a 65% da média de longo termo. No Sul, a estimativa é de ENA de 19.463 MW med, o mesmo que 226% da MLT. Na região Norte, a ENA esperada é de  22.238 MW med, valor correspondente a 109% da MLT, enquanto no Nordeste, a ENA deve registrar 2.983 MW med, que equivale a 43% da MLT.

O despacho térmico semanal esperado é de 3.926 MW med e será todo por inflexibilidade. O maior despacho e para o Sudeste, de 2.275 MW med. O Norte vem em seguida, com 984 MW med. O despacho esperado no Sul é de 663 MW med e no Nordeste de apenas 4 MW med. O custo para a semana operativa atual é de R$ 60,2 milhões e para as próximas, de R$ 34,7 milhões.

A média semanal do Custo Marginal da Operação é de R$ 0,61 / MWh para os submercados Sudeste/ Centro-Oeste e Sul e zerada para o Norte e Nordeste.