PLD sobe 48% no submercado Sudeste/Centro-Oeste

Para a próxima semana, a expectativa é que a carga elétrica do país recue cerca de 1.273 MW médios

O Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para o período de 7 a 13 de março subiu em todos os submercados, com exceção do Norte, resultado da piora na expectativa de afluências nas próximas semanas, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) nesta sexta-feira, 6.

O preço médio do submercado Sudeste/Centro-Oeste subiu 48%, fixado em R$ 86,62/MWh. Para o Sul, o preço foi elevado a R$ 158,20/MWh, enquanto o preço no Nordeste teve alta de 44%, fixado em R$ 84,67/MWh. Já o preço do Norte caiu 31%, fixado no piso de R$39,68/MWh. Os limites de intercâmbio de energia para os patamares de carga pesada e média foram atingidos para todos os submercados, mantendo o preço desacoplado.

Para a próxima semana, a expectativa é que a carga elétrica do país recue cerca de 1.273 MW médios. A queda foi verificada no Sudeste (- 869 MW médios) e no Sul (- 488 MW médios). Por outro lado, há aumento no Nordeste (+ 36 MW médios) e no Norte (+ 48 MW médios).

Em março, espera-se que as afluências no país fiquem em 100% da Média de Longo Termo (MLT), porém abaixo da média para os submercados Sul e Norte. As afluências dos submercados em relação à MLT foram de 111% no Sudeste, 38% no Sul, 101% no Nordeste e 88% no Norte.

Os níveis dos reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN) ficaram cerca de 1.812 MW médios acima do esperado. O aumento foi verificado no Sudeste (+ 2.531 MW médios), no Nordeste (+ 52 MW médios) e no Norte (+483 MW médios). No submercado Sul os níveis estão mais baixos (-358 MW médios).

O fator de ajuste para o condomínio de hidrelétricas que participam do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) está estimado em 128,5% para fevereiro.

Encargo

Como a região Sul enfrenta baixas nos reservatórios, por conta de chuvas em níveis muito inferiores às médias históricas, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu tomar algumas medidas, como o acionamento de termelétricas fora da ordem de mérito. Com isso, a previsão dos Encargos de Serviços do Sistema (ESS) para março de 2020 ficou em R$ 234 milhões, sendo cerca de R$ 231 milhões referentes à segurança energética e R$ 3 milhões de Unit Commitment.